+55 61 9384-9866contato@dancabrasilia.com.br

História do forró

Casa / História do forró

A HISTÓRIA DO FORRÓ
A DANÇA, O RITMO E A MÚSICA

                      

Origem do Forró = Há a versão mais popular de sua origem, é que o nome forró significa “For All” (para todos): A frase vinha escrita nas portas dos bailes promovidos pelos ingleses no interior de Pernambuco, no início do século, quando eles vieram para o Brasil construir ferrovias. Se a placa estivesse lá era sinal de que todos podiam entrar na festa, regada a ritmos dançantes que prenunciavam o forró de hoje, essa era a versão defendida por Luiz Gonzaga.

A segunda versão é dada pelo historiador e pesquisador da cultura popular Luís da Câmara Cascudo, que diz que a origem é o termo africano “forrobodó“, que significaria festa ou bagunça. Segundo o pesquisador havia a dança em alguns povoados pequenos do país como na Ilha Grande- RJ ou na Ilha do Mel- PR. Ele ainda afirma que o forró significa bailão popular ou arrasta pé, onde se dança de tudo.
MAS TUDO COMEÇOU DO XAXADO  E “DOIS PRÁ LÁ, DOIS PRÁ CÁ – Em 1922, no sertão pernambucano, dizem que o bando de cangaceiros do Lampião foi quem introduziu o estilo “xaxado”  (por causa do chiado da sandália), dança esta, que era coreografada individualmente por homens, no início era dançado pelo som dos bacamartes  e dos tambores.
.  

Luís Gonzaga criou a música “baião” para dançar baião e levou para toda a região do nordeste, inclusive nosbailes do candieiro ou o baile do fole, como era carinhosamente chamado a sanfona.

O PRECURSOR do FORRÓ…….

Em 1928/1929 o velho LUA (LUIS GONZAGA) começou a tocar sanfona com o seu pai e seu mestre Januário no interior de Pernambuco, quando tinha uma festa de “arraiá”, lá estavam os dois, sempre acompanhado do pai.Em 1930 foi servir o exercito no Ceará e de lá foi para o Rio de Janeiro, e levou a velha sanfona do seu querido pai.
Em 1939, LUIS GONZAGA começa a tocar sanfona no Rio de Janeiro, onde criou sua primeira música de forró, com o título: o “vira e mexe”, em 1940 ele criou o “baião”e foi tocar no programa de Ari Barroso na Radio Nacional onde ganhou o primeiro lugar, onde ficou conhecido como o REI DO BAIÃO, uma mistura e transformação do conga e o samba.

Ver a imagem em tamanho original

     A história musical do GONZAGÃO acesse:
http://www.brasilmusik.de/l/luiz-gonzaga/luiz-gonzaga.htm

Em 1941, Luís Gonzaga chega ao seu primeiro sucesso musical
“chamego”, onde começa a tocar em bailes, bares e festas no Rio de Janeiro, mas na região de mangues (prostíbulos). O povo dançava estilo que chamamos de: “igual aos nossos avós”      

   

Em 1943 apresentando-se vestido de nordestino com um chapéu de cangaceiro e sua sanfona “branca”,novinha, criou o seu maior sucesso “asa branca” , o ritmo do forró que recebeu o nome carinhosamente de“Xote”, nome que veio da Europa, o estilo do forró foi batizado com esse nome por causa dos pés dos dançarinos, por isso o ritmo é xoteado, no nordeste o povo dizia uma frase singular “chiado da chinela”.

  Ver a imagem em tamanho original

                                                        

Nos idos de 1948 para comemorar o dia de São João no interior de Pernambuco, foram feitas várias músicas de origem do forró, que se denominou a “dança da quadrilha”, com o estilo de dança “arrasta-pé”.As quadrilhas juninas: são de natureza rural, da tradição européia, do culto ao fogo, anteriores ao cristianismo, onde se espalhou pelo nordeste, e em outros estados: como na Paraíba, Alagoas, Sergipe, Ceará, Rio Grande do Norte até chegar à Bahia, que estilizou, batizou e difundiu a quadrilha e as festas juninas.

Quase 40 anos depois, em 1980 o ritmo da dança mudou de nome, saindo do xote para o pé de serra, sempre através da música com sanfona, triângulo e zabumba…

Vale ressaltar que de 1941 até 1986 o forró somente era dançado e tocado em prostíbulos, ou seja, quarenta e cinco anos de preconceito musical. Já no ano de 1987, surge no Ceará os “Solo dos Teclados” com Flávio José, Frank Aguiar, Rita de Cássia e Redondo e ainda, Anastácia, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e o músico Dominguinhos, que difundiram o forró em todo o Brasil, tornando-se popular em festas, feiras e vaquejadas.

Jackson do Pandeiro

Temos que abrir um parêntese para os cantores Genival Lacerda que foi o precursor do “forró malícia” eJackson do Pandeiro que incluiu na dança e na música o “côco” no forró, estilos próprios.

 

Em 1990 o forró tomou outro estilo de música e dança, adentrando a sociedade brasileira, saindo os instrumentos: safona, zabumba e triângulo passando para o forró eletrônico (guitarra, baixo, bateria, sanfona ou teclado), criando nova denominação na música e dança o “forró music”. Começaram então as ramificações do forró com os estilos: lambaforró e o oxentmusic, contando com a participação de compositores cearenses, como Rita de Cássia e Redondo e a Banda Aquariús (Fortaleza), criada em 1985, portanto a primeira banda eletrônica de forró do Brasil. A banda Mastruz com Leite foi criada em novembro de 1990, para abrir o shows da Banda Aquarius, que já fazia sucesso em Fortaleza, no Estado do Ceará, Mastruz com Leite, por ironia do destino, superou o sucesso da Banda Aquarius e conseguiu se tornar a mais conhecida banda de forró do Brasil. Outras bandas surgem no nordeste também como: Magníficos, Capital do Sol, Brucelose, Limão Com Mel, Forró Maior e Banda Styllus. A música “Meu Vaqueiro, Meu Peão” foi a música de maior sucesso da Banda Mastruz Com Leite em 1993.
Para que o forró obtivesse sucesso dos anos 90 até o presente, enfatizamos a questão da criação das gravadoras independentes de forró no Nordeste, pois havia um certo preconceito com o ritmo, como exemplo podemos citar: a “SOMZOOM STUDIO E PRODUÇÕES”, a maior de todas, proprietária de 24 bandas, 2 rádios FM, gravadora e produtora de CD’s,  incluindo a maior do Brasil, MASTRUZ COM LEITE.

1ª Banda Eletrônica de Forró 
2ª Banda Eletrônica de Forró
1985 
1987
 3ª Banda de Forró 1990
 Banda lançada em 1991
Banda lançada em 1993 
 Banda lançada em 1993

                             

A BANDA RECORDISTA NO BRASIL EM CD’s (35 volumes)

Em 1993, começa o novo estilo de dança de forró: “puladinho” de Pernambuco, variação do forró com mistura doxote e o xaxado

 
Em 1994 uma colônia de nordestinos, a maioria paraibana, situada no INCRA 06 em Brazlândia, Distrito Federal, começa a criar coreografias próprias, que nós denominamos de: “miudinho” com o bate-bate.


Em 1995 eles também, o mesmo grupo de paraibanos do DF, introduziu o merengue no forró, carinhosamente chamado de “merenguinho”, em conjunto com “galopinho”, estilos também próprios.

No mesmo ano, eles também inventam e arrebentam, onde coloca o ritmo mais rápido da dança de forró denominado de chameguinho ou “vanerão nordestino”. Aí o Distrito Federal entra para a história do forró, com sua dança e seu estilo próprio.

Em 1996, as Academias de Dança de Fortaleza inova, ramifica e mistura o forró, vão até o Rio Grande do Sul e criam a fusão do Vanerão Gaúcho com o Forró, nascendo o “valsadão”,

Na mesma época na Bahia nasce o estilo denominado “cacau”., originado da pisada da fruta do cacau (atividade dos empregados das fazendas cacaueiras do Sul da Bahia).

Em 1999, os universitários paulistas realizavam “sarau universitário” (tardes dançantes de forró nos campus universitários na USP e UNICAMP), na capital de São Paulo, onde contratavam trios de forró (nordestinos), pequenas bandas, e criaram outro estilo de dança, o “Forró Universitário”que é a mistura do “xote” com a lambada, a salsa e outros ritmos coreografados.

No mesmo ano, nasceram várias bandas de forró, tocando este estilo contagiante que é o “forró universitário”::FALAMANSA, RASTAPÉ, BIXO DE PÉ, FILHOS DA MÃE e CHAMA CHUVA, todas originadas do Sul e Sudeste do Brasil, especialmente das cidades de São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina e Rio de Janeiro

1ª Banda de Forró Universitário
 Banda lançada em 1999

Banda lançada em 1999

Em 2002 no Belém do Pará, o “Brega”, começara a ressurgir das cinzas, vira o “Forró Brega” ou “Forró do Calypso” , uma mistura de merengue e forró, para os paraenses batizada carinhosamente como o “Tango do Pará”, que abre as portas para novas bandas como CALYPSO, COMPANHIA DO CALYPSO, CAJUÍ e REMELEXO DO PARÁ.

Esta é a história do forró, contada pela FEDERAÇÃO BRASILEIRA DO FORRÓ, onde foi pesquisada, analisada e registrada passo a passo. O Professor Luciano Barbosa, através de pesquisa nos estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba, Distrito Federal, São Paulo e Espírito Santo, reuniu várias informações sobre a história dadança do forró, onde hoje é dançado no Brasil inteiro com sucesso.

Biografia:
Luis Câmara Cascudo
Federação Brasileira do Forró
Livro “O cangaço”

Contatos

Nós não estamos por perto no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e nós vamos retornar para você , o mais cedo possível .